PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO: Considere adotar uma solução que pode resolver os seus problemas

Publicado em: 30/05/2018

Talvez você já tenha refletido sobre melhorias em sua empresa e já direcione seu negócio para uma visão de gestão com maior maturidade. Entretanto, muitas empresas ainda não realizam o planejamento estratégico ou o fazem sem focar na implantação, “engavetando” o resultado final em função da ausência de cultura estratégica ou da sobrecarga de trabalho cotidiano.

Mas o que exatamente é o Planejamento Estratégico (PE)?

Em termos gerais, o PE é um processo gerencial para responder, dentre outras, as seguintes perguntas: o que é o nosso negócio? O que queremos dele? De que forma iremos alcançar isso? Quais são nossas prioridades? O que valorizamos? E o que fazemos ou não fazemos para atingir nossos objetivos?

Em suma, o planejamento estratégico visa entender a situação do negócio no momento atual (status quo); definir objetivos a serem alcançados; e projetar ações e diretrizes para atingi-los em um horizonte futuro. Este horizonte varia de empresa para empresa (dependendo do ramo, porte e outros fatores), mas costuma ser de 3 a 5 anos.

Existem formas variadas para realização do PE. Algumas empresas se empenham para envolver suas equipes, propiciando que elas discutam os principais temas de interesse da organização, de modo a auxiliar no direcionamento da estratégia. Outras empresas preferem realizar o processo de forma mais rápida e simples, sem necessariamente envolver todos os colaboradores diretamente. A escolha dependerá da maturidade organizacional e, principalmente, da quantidade de informações que a organização já possui com relação aos seus ambientes interno e externo.

Como posso começar?

Recomenda-se inicialmente definir uma metodologia para execução das atividades, que auxilie na coleta, seleção e análise de informações que subsidiarão o processo. É também bastante relevante conscientizar a equipe que participará do planejamento, motivando os participantes para que os objetivos sejam alcançados. O número de envolvidos pode variar de acordo com cada organização. David Bohm, em seu livro On Dialogue (1990), explica que é fundamental que os debates ocorram de forma assertiva e que as pessoas deixem seus pressupostos de lado, ou seja, estejam alinhadas com o objetivo da realização do planejamento e que, sobretudo, foquem suas energias em prol da evolução e aperfeiçoamento da organização.

Algumas das importantes etapas deste processo são apresentadas a seguir:

• A Identidade Organizacional visa definir o Negócio, a Missão (o que faz), a Visão (onde quer chegar) e os Valores (o conjunto de características que determinam a forma como a organização se comporta e interage com outros indivíduos e com o meio ambiente). Em outras palavras, esta etapa define o DNA da empresa.
* Se você possui um Business Model Canvas, ele pode fornecer insumos relevantes para a definição do seu negócio.

• A Análise de Ambiente fornece um processo sistemático que procura mapear, classificar e examinar as variáveis ambientais que circundam o ambiente da organização. É necessário analisar, de forma consistente, os ambientes interno e externo para alcançar um resultado adequado no planejamento estratégico. Esta etapa propicia o entendimento atual do negócio e sua relação com o mercado.
* Análise SWOT, Análise PEST, Matriz BCG, dentre outras ferramentas podem auxiliar durante esta etapa.

• A Definição da Estratégia é o ponto mais crítico do planejamento estratégico. É justamente ela que definirá os rumos da organização para o horizonte planejado. Cruzar os resultados da análise de ambiente, registrados na matriz SWOT, pode ser interessante para identificar as melhores estratégias para a organização. As Forças e as Forças Ampliadas de Porter também ajudam a refletir acerca das diversas dimensões que podem afetar o seu negócio.
* A Análise SWOT é, novamente, uma boa ferramenta para esta definição.

• O Desdobramento Estratégico é a transformação dos levantamentos e das estratégias pré-estabelecidas em um conjunto de ações que seja exequível e mensurável. De nada adianta definir os objetivos e avaliar o mercado, e não possuir um norte para avançar no planejamento. Nesta etapa são definidos os planos de ação, com respectivos indicadores e metas, responsáveis e prazos para execução. É importante que estejam alinhados com os objetivos anteriormente definidos.
* O diagrama de MUDGE pode ser um grande aliado para definir prioridades entre os planos de ação elaborados.

Além destas etapas, que auxiliam na formulação do planejamento estratégico, é importante adotar ações que assegurarem sua execução e monitoramento. É fundamental acompanhar os indicadores e metas para analisar o andamento das atividades e o alcance dos objetivos estabelecidos.

É relevante também buscar o constante alinhamento entre a equipe que operacionaliza o planejamento e a alta administração, para assegurar que todo o projeto contribua para alavancar a cultura estratégica. Manter a equipe motivada e ciente dos objetivos a serem alcançados é uma excelente forma de garantir que o planejamento não seja esquecido e descontinuado.

Como o ambiente interno e externo muda constantemente, as revisões periódicas do PE também são de extrema importância durante o trajeto, já que ajudam a verificar se a estratégia continua adequada para a realidade da empresa e do mercado.

Com estas ações, sua empresa estará preparada para enfrentar os desafios impostos pela área em que atua. Mas não esqueça de monitorar constantemente seu planejamento para assegurar o alcance dos resultados, evitando que todo o seu esforço seja direcionado para alguma “gaveta”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *